flags

Aquacultura

O ecossistema de Benguela oferece várias espécies marinhas com bom potencial em termos de mercado e cultura. Todavia a indústria da aquacultura mantém-se grandemente subdesenvolvida. Entretanto, já foram criadas as condições para o aumento da exploração da aquacultura em Angola, Namíbia e África do Sul. A título de exemplo, Angola já formulou uma política abrangente sobre aquacultura, com base em linhas directrizes e protocolos internacionalmente aceitáveis e já incorporou a legislação sobre aquacultura nas leis nacionais. Na Namíbia, em que o pescado e a pesca desempenham um papel muito importante na economia, a aquacultura está a ser abordada como uma prioridade de desenvolvimento, quer no Segundo Plano de Desenvolvimento Nacional da Namíbia (NDP-2) e no seu documento da Visão 2030.

A Lei sobre Aquacultura da Namíbia foi promulgada em 2003, tornando-se o primeiro dos três países do BCLME a fazer da política sobre aquacultura uma estratégia abrangente de desenvolvimento. Estratégia essa da qual estima-se moderadamente que a indústria deva crescer em termos monetários, dos 20 milhões de dólares namibianos (2,8 milhões de US$) para os 250 milhões de dólares namibianos (3,7 milhões de US$).

A ostreicultura é uma das mais estabelecidas actividades de aquacultura na Namíbia. São produzidas tanto ostras pacíficas (Crassostrea gigas) como europeias (Ostreaedulis). As algas vermelhas (Gracillaria) são produzidas numa leira de 40 hectares na laguna de Luderitz, de modo a suplementar a recolha de produtos lançados pela praia. A exploração do abalone atraiu o interesse pela Namíbia, pelo que já está operacional um viveiro na Baia de Luderitz. Há também um interesse considerável pela criação de lagostas do cabo (Jasuslalandii), peixes ósseos, duskyKob (Argyrosomusinodorus) o pregado (Psettamaxima) vieiras (moluscos).

Apesar de a África do Sul caminhar vagarosamente em relação aos seus países homólogos no que tange à formulação de políticas e legislações relacionadas com aquacultura, a sua indústria de aquacultura é uma das mais produtivas entre os três países. A mesma produz abalones, mexilhões, ostras, pregados e camarões. As espécies no limiar da produção comercial incluem algas marinhas e kob (Argyrosomusspp).

Existem 48 estabelecimentos operacionais de aquacultura, produzindo cerca de 4000 toneladas por ano, tendo estes maior incidência na exploração do abalone.

Aquaculture-1Aquaculture-2Aquaculture-3Aquaculture-4