flags

Exploração Diamantífera Marítima

Diamonds-2O nearshore e o ambiente baixio da região da Corrente de Benguela, alberga reservas ricas em minerais, particularmente diamantes.

A Namíbia detém os maiores depósitos diamantíferos marítimos do mundo, com uma estimativa de mais de 1,5 mil milhões de quilates. Todos esses depósitos são considerados secundários, sendo que os diamantes são originalmente obtidos a partir de kimberlitos na África do Sul, transportados por intermédio do Rio Orange e depositados ao longo da costa da Namíbia e África do Sul.

Em 2005, a produção namibiana a partir de fontes diamantíferas terrestres, costeiras e marinhas, atingiu um total de 1,8 milhões de quilates, em comparação com os 1,7 milhões de quilates produzidos em 2003. Destes, a produção marinha atingiu um registo de 56 porcento do total da produção diamantífera namibiana.

As concessões de exploração diamantífera estenderam-se com intensidade ao longo da costa namibiana, desde o Rio Orange na parte sul do país, ao Rio Kunene na parte norte. A Empresa de Diamantes Namdeb, parceria de igualdade entre a De Beers e o Governo da Namíbia, é a maior produtora do país.

O considerável potencial de depósitos marinhos namibianos resultou em progressos acelerados em termos de tecnologia de extracção de diamantes. Os métodos modernos de exploração em águas de profundidade, envolvem a utilização de sistemas de perfuração ou escavadeiras de esteiras em fundo marinho. Ambos os sistemas desprendem e removem os sedimentos inconsolidados do fundo marinho, que são por sua vez transportados por ponte aérea, ou bombados para um navio dinamicamente atracado, para dai serem processados.

A produção diamantífera da África do Sul totalizou em 15,8 milhões de quilates em 2005. Um total de 126 licenças de exploração e prospecção diamantífera produziram diamantes em 2005, dos quais 18 exploraram kimberlitos, 90 exploraram depósitos aluviais, e somente 18 extraíram diamantes a partir de fontes marinhas. O Grupo TransHex e Alexkor domina o sector dos diamantes na África do Sul.

Em 2005 a produção diamantífera caiu acentuadamente para cerca de 56000 quilates em relação à 105 000 quilates em 2004. Todavia, a De Beers já assegurou 118 milhões de dólares norte americanos a fim de equipar um navio de alta tecnologia para o projecto de exploração mineira marinha na África Austral.